Um estudo feito pela Universidade de Washington, nos Estados Unidos, avaliou as doenças e mortes em todo o mundo ao longo de 20 anos. A pesquisa que contou com a colaboração de mais de 300 instituições de todo o mundo, inclusive do Brasil, constatou que a população mundial passou a viver mais, mas com pior saúde. O documento mostrou que doenças crônicas, causadas por fatores de risco como hipertensão, tabagismo e obesidade, estão se tornam cada vez mais prevalentes no mundo. “Os maus hábitos alimentares e sedentarismo correspondem a 10% da carga de doença global e o sobrepeso foi responsável por três milhões de mortes ao redor do mundo em 2010, um número três vezes maior do que os óbitos por desnutrição”, disse Majid Ezzati, um dos autores do estudo. Segundo a pesquisa, entre os principais fatores responsáveis por piorar a qualidade de vida conforme a idade avança, estão: dor nas costas, depressão, anemia por deficiência em ferro, dor no pescoço, doença pulmonar obstrutiva crônica, problemas muscoesqueléticos, distúrbios de ansiedade, enxaqueca, diabetes e quedas.