De acordo com o estudo realizado pela Universidade de Aarhus, na Dinamarca, quem têm filhos apresentam um risco menor de morrer de forma prematura do que aquelas que ainda não se tornaram pais. E mais, a pesquisa apontou que casais que optam pela adoção podem chegar a ter metade das chances de apresentar algum distúrbio mental. “A taxa de morte por acidente, doença circulatória ou câncer foi até quatro vezes menor entre mulheres que deram à luz e 50% menor entre as que adotaram em comparação com as que não tiveram filhos; e duas vezes menor entre homens que se tornaram pais, biológicos ou adotivos”, disse Esben Agerbo,  um dos autores do estudo. A pesquisa avaliou dados de 21.276 casais que não tinham filhos, mas estavam em tratamento de fertilização in vitro, entre os anos de 1994 e 2005. Durante esse período, 15.210 casais que participaram do estudo se tornaram pais biológicos e outros 1.564 adotaram um filho. “Os solteiros têm um estilo de vida com maiores riscos. Talvez seja por isso que a taxa de mortalidade diminui quando uma pessoa tem um filho. O estudo apontou ainda que os pais se preocupam mais em ter uma vida saudável e que mortes por doenças circulatórias também ocorrem mais entre pessoas sem filhos”, disse Agerbo.