Mulheres que praticam atividades físicas e assistem pouca TV têm menos riscos de serem diagnosticadas com depressão. Essa é a conclusão do estudo feito na Escola de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos. Foram pesquisadas cerca de 50 mil mulheres, com perguntas sobre saúde e estilo de vida. No início nenhuma delas apresentava depressão. Ao final foram diagnosticadas com a doença. “As mulheres que revelaram se exercitar durante 90 minutos ou mais por dia tinham 20% menos chances de desenvolver depressão. Outro dado do estudo apontou que as mulheres que passavam mais tempo em frente ao aparelho apresentaram 13% mais riscos de ter depressão do que aquelas que raramente ligavam a TV”, disse Michel Lucas, coordenador do estudo. A pesquisa conclui que uma possível explicação para essas duas relações está no fato de que muitas mulheres substituem o tempo em que poderiam praticar alguma atividade física por ficar em frente à televisão.